5 de out de 2017

no rio de janeiro
carne de umbigo,
de maria rezende


Depois de passar por Lisboa, Porto, Ovar, Barcelona e Salvador, Carne do Umbigo volta para casa. Com texto, concepção, direção e atuação da carioca Maria Rezende, o espetáculo que mistura recital de poemas, performance ao vivo e videoarte terá apresentações no Rio de Janeiro em outubro, em uma temporada batizada de Carne do Umbigo em casa. A ordem é deixar o público completamente à vontade e os nomes dos espaços culturais onde será apresentado sugerem essa informalidade: Casa Ipanema, Casa Quintal e Casa Rio, todos com lotação máxima entre 35 e 50 pessoas. 

Carne do Umbigo leva para o palco poemas dos três livros de Maria Rezende (Substantivo Feminino, Bendita Palavra e Carne do Umbigo) recitados de forma contemporânea, informal e cotidiana. Versos que captam um inconsciente coletivo pulsante do feminino, falam de olhar para a cidade e para dentro de si, e revelam a maturidade de quem viveu amores, perdas e aprendeu a se reconhecer e redescobrir.

Como cenário, fotos de Ana Alexandrino de partes do corpo da própria autora são projetadas na parede. Videopoemas editados pela poeta — que também é montadora de filmes e séries de televisão — costuram a performance e trazem a força do audiovisual, com trilha sonora de artistas contemporâneos brasileiros. Com ambientação de Lara Cunha e figurino de Mel Akerman, o espetáculo tem uma hora de duração.

A temporada Carne do Umbigo em Casa terá 15% da renda revertida para Uma Casa para Vera. A campanha de arrecadação online, tocada por Maria Rezende, tem como meta proporcionar cidadania para Vera Reis, que se encontra em situação de rua após ter sido demitida sem receber seus direitos trabalhistas e não conseguir se reinserir no mercado. A iniciativa é parte do programa "Habitação Primeiro", da ONG Projeto RUAS, inspirado no método "Housing First", política pública adotada em vários países do mundo, que defende a moradia como primeiro passo nas mudanças de vida de quem se encontra na rua.

Sobre a autora
Maria Rezende é poeta, performer, montadora de cinema e televisão e celebrante de casamentos. Publicou os livros Substantivo Feminino (2003), Bendita Palavra (2008) e Carne do Umbigo (2015). Por sua poesia, recebeu elogios de nomes como Manoel de Barros, Eduardo Galeano e Ferreira Gullar. "É poesia substantiva mesmo. A mulher inteira dentro das palavras. Poesia é fenômeno de linguagem do que de ideias. Isso você sabe. Sendo assim, você é poeta", elogiou Manoel de Barros sobre seu livro de estreia. Em seus quase vinte anos de vida literária, apresentou-se com sua poesia por todo Brasil, Portugal e Espanha. Seu trabalho encantou o escritor Marcelino Freire, que diz na orelha de Carne do Umbigo: "Tua poesia, mulher, me faz caminhar. Sem peso, sou depois dela, para a eternidade, um outro sujeito. Minha costela, meu esqueleto. Eu te mando meus ossos por completo. Toda vez que te ouço recitar teus versos. Eu fico bambo, bobo. Fico elétrico".


CARNE DO UMBIGO EM CASA

FICHA TÉCNICA
Concepção, texto, atuação e videoarte: Maria Rezende
Produção e operação de vídeo: Livian Das Valias
Assistência de produção: Vicente Pessoa
Fotografias do cenário: Ana Alexandrino
Figurino: Melina Akerman
Ambientação: Lara Cunha
Design: David Lima

SERVIÇO
Local: Casa Ipanema (Rua Garcia d'Avila, 77 – Ipanema )
Telefone: (21) 2523-1239
Dias e horários: 6 e 7 de outubro (sexta e sábado) às 20h.
Ingressos: R$40. Pagamento em dinheiro ou cartão de crédito.
Lotação: 50 pessoas
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Funcionamento da bilheteria: em dias de sessão, a partir das 18h.

Local: Casa Quintal (Rua Silvio Romero, 36- Santa Teresa )
Mostra Sortida
Dias e horários: 20 e 21 de outubro (sexta e sábado) às 20h.
Ingressos: R$40. Pagamento em dinheiro ou cartão de crédito.
Lotação: 40 pessoas
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Funcionamento da bilheteria: em dias de sessão, a partir das 19h.

Local: Casa Rio (Rua São João Batista, 105 – Botafogo)
Telefone: (21) 2148-6999
Dias e horários:  25 e 26 de outubro (quarta e quinta) às 21h.
Ingressos: R$40. Pagamento em dinheiro ou cartão de crédito.
Lotação: 35
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Funcionamento da bilheteria: em dias de sessão, a partir das 20h.




em são paulo
festival de arte degenerada:
org. editora kazuá







em recife
linha de risco,
de natanel lima júnior
e frederico spencer